quarta-feira, 25 de julho de 2012

Súastica encontrada em lago artico

Um chocante relatório do Ministério da Defesa sobre a equipe de cientistas russos que perfuraram 3,768 metros no maior lago submerso do mundo, na Antártida, que se acreditava estar intacto a mais de 20 milhões de anos, afirma que a camêra de vídeo sub-aquática descobriu uma "impressionate imagem" de uma "suástica dourada" que pode ter nada menos que 100 metros de altura e largura.

De acordo com o relatório, a descoberta da suástica submersa foi feita no dia 30 de janeiro, mas o Ministério ordenou silêncio aos cientistas que estão trabalhando no projeto a mais de 20 anos até que que dispositivos altamente especializados de comunicação criptografada pudessem ser entregue a eles e espalhando o medo de que eles estavam perdidos ou “fora de comunicação” por 5 dias.

Após receberem seus novos aparelhos de comunicação os cientistas lançaram seu primeiro relatório ao mundo através da agência de notícias governamental RIA Novosti, que acrescentou no anúncio desta missão histórica o seguinte:

“Pensa-se que, no final da Segunda Guerra Mundial, os nazistas mudaram-se para o Pólo Sul e começaram a construir uma base no lago Vostok. Em 1943, o Almirante Karl Dontiz disse que "a frota de submarinos da Alemanha tem o orgulho de ter criado uma fortaleza inexpugnável para o Fuehrer no outro lado do mundo", na Antártida.
De acordo com arquivos navais alemães, meses depois que a Alemanha se rendeu aos Aliados em abril de 1945, o submarino alemão U-530 chegou ao Pólo Sul vindo do Porto de Kiel. Tripulantes construiram uma caverna de gelo e supostamente armazenaram várias caixas de relíquias do Terceiro Reich, incluindo arquivos secretos de Hitler.Também existem rumores de que mais tarde o submarino U-977 entregou os restos mortais de Adolf Hitler e Eva Braun à Antártida para fins de clonagem de DNA.
Os submarinos então entraram no porto argentino de Mar del Plata e se entregaram às autoridades”.

O Lago Vostok é o maior dos mais de 140 lagos subglaciais encontrados sob a superfície da Antártida. O gelo sobrejacente fornece um registro paleoclimático contínuo paleoclimática de 400.000 anos, embora a água do lago em si pode ter sido isolado por 15 a 25 milhões de anos. Ele está localizado no Pólo Sul do frio, sob Estação russa de Vostok, abaixo da superfície da Camada de Gelo da Antártida Oriental, que está 3.488 metros (11.444 pés) acima do nível médio do mar. A superfície deste lago de água doce está aproximadamente 4.000 m (13.100 pés) abaixo da superfície do gelo, o que o coloca a cerca de 500 m (1600 pés) abaixo do nível do mar. Medindo 250 km (160 milhas) de comprimento por 50 km (30 milhas) de largura em seu ponto mais largo, e cobrindo uma área de 15.690 km2, é semelhante em área ao Lago Ontário, porém com volume três vezes maior.
O Instituto Nuclear de São Petersburgo desenvolveu a técnica de perfuração empregada pelos cientistas russos, que tem envolvido o uso de querosene e freon para lubrificar o poço e evitar que ele entre em colapso e congelar mais; 60 toneladas desses produtos químicos têm sido usados ​​até agora sobre o gelo acima do Lago Vostok. Outros países, particularmente os Estados Unidos e Grã-Bretanha, não conseguiram convencer os russos a não furar o lago até que as tecnologias limpas, tais como perfuração de água quente, estivessem disponíveis.

O interesse russo na Antártida, particularmente no Lago Vostok, aumentou depois da Segunda Guerra Mundial, quando o Almirante americano Richard E. Byrd liderou 4,000 tropas militares americanas, britânicas e australianas em uma invasão da Antártida chamada de “Operação Highjump” mas relataram ter encontrado alta resistência de “discos voadores nazistas” e tiveram de cancelar a invasão.

O mais interessante a se notar sobre a Operação Highjump do Almirante Byrd, foi seu vôo solo até o Pólo Sul no dia 19 de fevereiro de 1947, em que registrou em seu diário o seguinte: [veja a transcrição completa aqui].

“1000 horas-Estamos atravessando a pequena cadeia de montanhas e seguimos ao norte da melhor forma possível. Além da serra é o que parece ser um vale com um pequeno rio ou riacho que atravessa a parte central. Não deve haver nenhum vale verdejante em baixo! Algo está definitivamente errado e anormal aqui! Deveríamos estar sobre gelo e neve! Para a bombordo existem grandes florestas crescendo nas encostas das montanhas. Nossos instrumentos de navegação ainda estão girando, o giroscópio está oscilando para trás e para frente!

1005 Horas-Alterei a altitude de 1400 pés e executei uma curva acentuada à esquerda para examinar melhor o vale abaixo. É verde com um musgo ou um tipo de grama curta. A luz aqui parece diferente. Eu não posso mais ver o Sol. Nós fazemos outra curva para a esquerda e vemos o que parece ser um grande animal de algum tipo abaixo de nós. Parece ser um elefante! NÃO! Parece mais um mamute! Isto é incrível! No entanto, não é! Diminuir altitude de 1000 pés e tomar binóculos para examinar melhor o animal. Confirma-se - é definitivamente um animal animal como o mamute! Relatem isto para o acampamento base.

1030 Horas- Encontramos mais colinas verdes agora. O indicador de temperatura externa lê 74 graus Fahrenheit! Continuando agora. Instrumentos de navegação parecem normais agora. Estou intrigado com suas ações. Tentativa de contato com o acampamento base. O rádio não está funcionando!”

Embora deliberadamente escondido pelo Ocidente hoje, Adolf Hitler era obcecado com a Nova Suábia (em alemão: Neuschwabenland) que era o nome dado à área da Antártida localizada entre 20 ° E e 10 ° W na Terra da Rainha Maud, que ele acreditava que seria um dia a capital mundial da sua "raça superior".

Os arquivos soviéticos têm extensos arquivos detalhando que a Alemanha nazista e os Estados Unidos forjaram uma aliança antes do final da Segunda Guerra Mundial, permitindo a Hitler escapar à sua base na Antartida em troca de tecnologia alemã que incluía a bomba atômica e o caça avançado, o foguete e a tecnologia de discos voadores.

O que não é conhecido por todos sobre a tecnologia nazista de discos voadores era que os irmãos alemães Walter Horten (1913-1998) e Reimar Horten (1915-1994), que eram não só seguidores devotos de Hitler, mas também os melhores engenheiros aéreos do mundo, que não só inventaram o "disco voador" mas também, deliberadamente fabricaram o incidente UFO americano de 1948, conhecido como Roswell em conjunto com os soviéticos para desestabilizar os Estados Unidos.

É interessante notar neste relatório é a sua única menção a "suástica dourada", sem qualquer afiliação nazista, o que é importante quando este antigo símbolo é levado em seu contexto correto e completo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário