quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Então não é racismo?

Primeiramente, gostaria de deixar bem claro que sou contra qualquer tipo de preconceito. O que proponho é uma reflexão sobre certos casos e atitudes que considero incompatíveis. O Brasil é o País que tem a maior população afro-descendente do planeta. Para assegurar o direito de tantas pessoas de cor negra, existem várias associações e entidades. Praticamente todas elas têm como um dos objetivos em comum o combate ao racismo. Porém esse preconceito existe incialmente nos próprios negros.

Como um exemplo disso, vale citar que na quarta-feira passada, o goleiro Felipe, do Corinthians, acusou a torcida do Juventude de racismo. Segundo o atleta, durante a partida válida pela Série B do Brasileirão, ele foi chamado de "preto safado". Felipe saiu reclamando dessa atitude. Se o goleiro do Corinthians fosse loiro e tive sido chamado de "polaco safado" durante o jogo não haveria essa polêmica. Chamar de japonês, ruivo, moreno e outros mais pode. Negro não.

4 comentários:

  1. É igual as cotas raciais,isso só comprova,a inferioridade deles...rs

    ResponderExcluir
  2. É INFESLIMENTE A RAÇAS QUE SAO PREVELIGIADAS OS JUDEUS POR EXEMPLO NAO PODE NEM CITAR O NOME DELES QUE JA TU É CHAMADO DE ANTI-SEMITA JA COMEÇAO COM A HISTORINHA DO HOLOCONTO E POR AI VAI

    ResponderExcluir
  3. Racas negro e descendentes deles sao maior parte de povo pobre em Brasil. Este negroes e descedentes sao menos inteligente que brancos e custa por nosso sociedade de media classe muito diniero tirando de coffre publicos.Para evita aumenta deste custas nois nesesitem pense sobre injecao química por negroes e e descendentes deles. Um raca mais branco vou levante nivel de escolaridade e saude por nosso sociedade em Brasil.

    ResponderExcluir